MOGNO AFRICANO (Khaya grandifoliola / antigo ivorensis)

O mogno africano -  Khaya grandifoliola por muito anos foi tratado e conhecido como Khaya ivorensis e está plantado em muitos locais do Brasil. Há pouco mais de um ano pesquisadores identificaram a falha na identificação da espécie, corrigindo para o nome correto Khaya grandifoliola, porém suas mudas ainda são comercializadas como ivorensis, fato que ao longo do tempo deverá ser corrigido.

 

O mogno africano - Khaya gradifoliola  de origem africana pertence a mesma família do mogno brasileiro e do cedro. Possui madeira nobre de grande potencial econômico para comercialização interna e externa podendo ser utilizada para diversas finalidades.  No Brasil, a espécie teve seus primeiros plantios instalados na região Norte no ano de 1976 e a crescente demanda por madeira tropical está levando a novos investimentos em plantios comerciais em todo o país, aquecendo o mercado florestal em torno da espécie.

Nome popular: Mogno africano

Nome cientifico: Khaya grandifoliola 

Família: Meliaceae

 

Outros Nomes populares: Acajou D’Afrique, African Mahogany, entre outros.

 

Ocorrência Natural
Regiões tropicais úmidas, de baixa altitude da África Ocidental, abrangendo diversos países, entre eles Costa do Marfim, Gana, Togo, Benin, Nigéria, etc.

 

 

Características gerais
Árvore de grande porte, podendo atingir de 40 a 60m de altura e diâmetro de 2,10m em áreas naturais. Em plantios no Brasil o crescimento anual tem sido entre 2 a 3m de altura por ano e 2 a 4cm de diâmetro por ano, dependendo das característica de solo, clima e manejo.

 

Características silviculturais

Possui excelentes características silviculturais como boa forma (crescimento monopodial) e crescimento vigoroso. Por ser espécie heliófila se desenvolve bem em sol pleno. Pode ser plantado em plantios puros, sistemas agroflorestais e silvipastoris.

 

Solo/Clima
Se adapta em diversos tipos de solo, respondendo muito bem em solos mais férteis. Necessita de pelo menos 1200mm de chuva por ano, de preferência bem distribuídos. Não tolera secas prolongadas e nem geadas, principalmente na fase jovem

 

Madeira
A madeira de cor avermelhada é altamente valorizada para indústria moveleira, marcenaria em geral, compensados, laminados, janelas, portas, escadas, entre outros. Pode ser utilizada para construções e assoalhos leves, construção de embarcações, corpos de veículos, cabos, instrumentos esportivos e musicais, brinquedos, instruções de precisão, entalhes, tornados.